O que é e o que faz um Coach?

Todo indivíduo pode se transformar quem ele quiser, através de seu potencial infinito, que, se usado plenamente, promove resultados extraordinários em todos os aspectos de sua vida, seja pessoal ou profissional.

Mesmo com essa força realizadora inerente, a maioria das pessoas não conseguem acessá-la, devendo-se principalmente pela falta de autoconhecimento.

Nesse sentido, entra em cena o profissional que tem como missão auxiliar estas pessoas a encontrarem a si mesmo, bem como suas potencialidades, para que despertem suas melhores versões.

O Coach é o profissional especializado no processo de Coaching. Pode ser considerado um treinador que assessora o seu cliente (coachee), levando-o a refletir, chegar a conclusões, definir ações e, principalmente, agir em direção a seus objetivos, metas e desejos.

A essência do Coaching está em fornecer suporte para que o indivíduo aprimore, se transforme e evolua. Assim como, auxiliá-lo a seguir na direção certa para seu estado desejado. O processo de Coaching cria consciência, potencializa a escolha e leva à mudança.

O processo de coaching é realizado em sessões (encontros/reuniões) sejam elas, semanais, quinzenais ou mensais. O profissional aplica técnicas, ferramentas e perguntas poderosas para mobilizar seu cliente (coachee) a entrar em ação para atingir suas metas e acelerar os resultados. O objetivo é maximizar a performance do indivíduo como um todo, na vida pessoal e profissional.

 

Mitos e Verdades sobre o Coaching 3

Mito: Coaching é dar bronca.

Verdade: Coaching é gerar aprendizado.

Bronca gera mais medo do que aprendizado. Através de perguntas, o coach faz o coachee se apropriar de seus erros e aprender com eles.

O coach lida com momentos de erro ou de adversidade de seu coachee como uma oportunidade de gerar aprendizado, fazendo perguntas que contribuem para que o coachee use os seus recursos internos para idealizar novas alternativas de solução.

O papel do coach é tirá-lo da cegueira, ajudando-o a reavaliar seu modelo mental, sua maneira de pensar e seus hábitos. Uma vez fora da névoa mental, da ilusão autogerada, o coachee consegue enxergar outras possibilidades.

As alternativas de solução já existiam, estavam prontas para serem enxergadas, mas a percepção mental do indivíduo o cega momentaneamente. Não é uma questão de inteligência, mas de hábito mental. Quanto mais inteligente for a pessoa, mais brilhantes serão os seus argumentos para provar que não existe outra solução.

Uma simples pergunta bem colocada do coach consegue “quebrar” o processo automático neuronal. Assim, para procurar a nova resposta, outras áreas do cérebro são ativadas.

Texto retirado do livro: Coach Palestrante

Autora: Marcia Luz

Mitos e Verdades sobre o Coaching 2

Mito: Coaching é para consertar comportamento problemático.

Verdade: Coaching é desenvolver novos potenciais.

O objetivo não é mudar a personalidade, e sim expandir o leque de respostas, treinando outras possibilidades para aumentar suas escolhas, ou seja, além dos comportamentos que a pessoa já tem, ela treina outros para ampliar suas escolhas diante das circunstâncias.

O ser humano tem uma tendência de, em situações de estresse, fazer mais do mesmo. Se a pessoa fala alto, em situações de estresse ela grita, se é fechada, em situações de estresse ela se tranca ou desaparece; se funciona lentamente, em situações de estresse ela paralisa.

A tendência é que o indivíduo repita um estilo de comportamento constantemente, mesmo quando a situação pedir por algo diferente. O comportamento em si não é problema, mas se torna por ser utilizado fora de contexto. O coach proporciona o desenvolvimento de novas competências, para que hajam outras opções mesmo em momento de estresse.

Todo trabalho de desenvolvimento de carreira se torna inócuo se o desenvolvimento de competências não fizer parte do processo.

Fonte: Livro Coach Palestrante

Autora: Marcia Luz

Mitos e Verdades sobre o Coaching 1.

Mito: Coaching é aconselhamento.

Verdade: Coaching é contribuir para que o coachee encontre suas resposta

Se conselho fosse bom, era vendido! Conselhos infantilizam, criam dependência e reforçam a posição de expert versus ignorante. No lugar, use perguntas poderosas. Na maioria das vezes, dizer ao outro o que fazer não facilita o desenvolvimento. Aconselhar pode ser mais rápido, mas não é compatível com o objetivo do Coaching, que é gerar aprendizado e facilitar a expansão das pessoas.

Fonte: Livro Coach Palestrante.

Autora: Marcia Luz.